Pessoas com deficiência auditiva correm risco maior de sofrerem lesões acidentais

Compartilhe:

Se você tem dificuldades auditivas, você conta com um risco maior de se envolver em lesões acidentais, aponta estudo americano.

Um estudo americano investigou associações entre deficiência auditiva e lesão acidental entre americanos adultos. A conclusão é que deficiência auditiva aumenta o risco de lesões acidentais.

O risco pode duplicar

O estudo mostrou que os entrevistados que tinham muitos problemas auditivos eram duas vezes mais propensos a experimentar lesão acidental do que os entrevistados com uma excelente audição.

“Quando as pessoas têm deficiência auditiva, elas têm maior dificuldade de ouvir sinais de alerta, como por exemplo, o de bicicleta ou de moto quando vêm em sua direção”, afirma o Dr. Neil Bhattacharyya autor responsável pelo estudo e pesquisador da Harvard Medical School and Brigham and Women’s Hospital, em Boston.

Comparado aos entrevistados com excelente audição, o risco de lesão acidental dos entrevistados com pouco problema auditivo era de 60% mais elevado, e que pessoas com problemas auditivos moderados tinham uma possibilidade de 70% a mais de experimentar acidentes. Já os entrevistados com muita dificuldade auditiva eram 90% mais propensos a ter lesão acidental, mostrou o estudo.

Os tipos mais predominantes de acidentes entre os entrevistados com dificuldades auditivas estavam relacionadas a trabalho e entretenimento.

Sobre o estudo

O estudo é uma análise transversal de entrevistas de uma amostra representativa com 232,3 milhões de indivíduos com a idade de 18 anos, ou acima disso, da National Health Interview Survey de 2007 a 2015 voltado para respostas de questionários feitos aos entrevistados sobre audição e acidentes.

O estudo examinou lesões acidentais nos três meses anteriores. O estado da audição foi descrito pelos entrevistados como “excelente”, “bom”, “um pouco complicado”, “complicação moderada”, “muito problemático” ou “surdo”.

Fonte: www.hear-it.org/

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais:

Facebook
LinkedIn
Pinterest
Telegram
WhatsApp

Quer tirar dúvida com um de nossos especialistas?

Sua dúvida pode ser de outra pessoa também. Ajude-nos a ajudar mais pessoas. 

Mantenha-se informado!

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo e informações sobre saúde.