Apneia do Sono e Câncer de Mama

O sono, como comer e respirar, é uma parte essencial do ciclo da vida diária. Embora a ciência ainda esteja estudando, o sono desempenha um papel importante nas funções imunológica, cardiovascular e neurocognitiva. Mulheres com apneia do sono severa parecem apresentar um risco elevado de contrair câncer, mostra um estudo europeu. A ligação entre hipóxia noturna (baixa quantidade de oxigênio nos tecidos orgânicos) em mulheres e maior risco de câncer é clara. Uma pesquisa, publicada no European Respiratory Journal, é baseada em análises de dados de 20.000 pacientes adultos com apneia obstrutiva do sono (AOS). Cerca de 2% deles também tiveram um diagnóstico de câncer.

 

 

Ludger Grote, professor adjunto de Medicina Pulmonar, especializado em medicina do sono, na Academia Sahlgrenska, Universidade de Gotemburgo e também chefe do Departamento de Medicina do Sono afirma: “Nossos resultados indicam um risco de câncer de duas a três vezes maior entre as mulheres com apneia do sono pronunciada. A condição de apneia do sono é bem conhecida pelo público em geral e associada a ronco, fadiga diurna e risco elevado de doenças cardiovasculares, especialmente em homens. Nossa pesquisa abre caminho para uma nova visão – de que a apneia do sono pode estar relacionada a aumento do risco de câncer, especialmente em mulheres “, diz Grote.

 

 

As pesquisas nessa área estão se expandindo, mas estudos anteriores já mostraram que pessoas com apneia do sono têm um diagnóstico de câncer em seu histórico médico com mais frequência. “Pode haver um efeito combinado dos hormônios sexuais femininos e do estresse, como consequência da apneia do sono, que desencadeia o desenvolvimento de câncer ou enfraquece o sistema imunológico do corpo” conclui o Dr. Grote.

 

 

Sono e o Câncer de Mama

 

Outra pesquisa, dessa vez brasileira realizada na faculdade de medicina de São José do Rio Preto conduzida por Débora Zuccari, coordenadora do Laboratório de Investigação Molecular do Câncer (Limc) e Bruna Victorasso doutoranda em genética pelo Hospital Henry Ford, nos Estados Unidos, também expõe as consequências da apneia do sono. O estudo apontou que a melatonina, hormônio do sono, é capaz de inibir o crescimento de tumores como o câncer de mama. Segundo Bruna, mulheres que apresentam deficiência na produção de melatonina podem ser mais suscetíveis a desenvolver o câncer de mama. “Também existem estudos científicos que relacionam o trabalho noturno com o aumento do risco do câncer de mama, uma vez que a exposição à luz artificial à noite reduz a secreção da melatonina”, conta.

Conheça o nosso acompanhamento personalizado para a terapia da apneia do sono.



18/10/2019