A ligação entre depressão e perda auditiva

Todos concordam que a saúde mental e saúde auditiva são importantes, mas nem sempre foi assim, até estudos recentes mostrarem uma forte correlação entre os dois. A depressão tem sido associada à perda auditiva e, infelizmente, ambas as condições muitas vezes não são reconhecidas e nem tratadas adequadamente. Pessoas com perda auditiva geralmente acham difícil a comunicação, e isso pode levar ao estresse, fadiga e isolamento social. E o isolamento social leva à depressão, especialmente em adultos mais velhos. Mas foi apenas recentemente que as pesquisas mostraram que isso era mais sério do que se pensava anteriormente.

Um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Surdez e Outros Distúrbios da Comunicação (NIDCD) mostrou que mais de 11 por cento das pessoas com perda auditiva também tinham depressão, em oposição a apenas 5 por cento na população em geral. A perda auditiva é a terceira condição mais frequente em idosos. Presbiacusia, a forma mais comum de perda auditiva está associada ao envelhecimento, pois ocorre gradualmente. Caracteriza-se pela perda dos sons de maior frequência e dificuldade em compreender a fala na presença de ruído de fundo. Infelizmente, na maioria dos adultos mais velhos, a perda auditiva não é detectada nem tratada.

Enquanto alguns sintomas de depressão, como tristeza e sentimentos de desesperança, são mais óbvios, outros são menos conhecidos, mas igualmente devastadores para a qualidade de vida. Fadiga, dificuldade de concentração, perda de apetite, irritabilidade e perda de interesse em hobbies podem interferir na vida diária e no funcionamento normal dentro da família e grupos sociais. Amigos e familiares devem ficar atentos e procurar por qualquer sinal de depressão. Encaminhar seus entes com perda auditiva e depressão para tratamento pode ajudar esses pacientes a recuperar uma posição emocional, tornar-se socialmente engajados novamente e experimentar uma melhoria em sua qualidade de vida.

Embora seja comprovado, é possível minimizar o risco de depressão relacionado à perda auditiva. Em primeiro lugar, se você suspeitar de perda auditiva, procure o atendimento de um médico o mais cedo possível. Aqueles que buscam tratamento para perda auditiva precoce reduzem consideravelmente o risco de depressão. Depois de procurar tratamento, um período de adaptação com bom acompanhamento será necessário para os novos aparelhos auditivos;

Se você ou alguém que você conhece está passando por depressão, um teste de audição pode mudar drasticamente essa situação. Por outro lado, se você tiver perda auditiva, um exame de depressão e encaminhamento para o tratamento podem ajudar a melhorar sua qualidade de vida e permitir que você se envolva novamente com o mundo ao seu redor.

Para mais informações visite a loja Microsom mais próxima.

07/06/2019